Category: Alternative

8 thoughts on “ Vaca Estrela E Boi Fubá

  1. Minha linda Vaca Estrela E o meu belo Boi Fubá Quando era de tardinha, eu começava a aboiar Êeeeiaaaa, êeee Vaca Estrela Ôoooo Boi Fubá. Aquela seca medonha Fez tudo se atrapaiá Não nasceu capim no campo para o gado sustentar O sertão se estorricou Fez o açude secar.
  2. Ê, vaca Estrela, ô, boi Fubá. Eu sou fio do nordeste Não nego o meu naturá Mas uma seca medonha Me tangeu de lápra cá Lá eu tinha o meu gadinho Não é bom nem imaginá Minha linda vaca Estrela E o meu belo boi Fubá Quando era de tardezinha Eu começava a aboiá. Ê, vaca Estrela, ô, boi Fubá.
  3. Luiz Gonzaga - Vaca Estrela e Boi Fubá (Letra e música para ouvir) - Seu doutor, me dê licença pra minha história contar / Hoje eu tô nua terra estranha, é bem triste o meu penar / Mas já fui muito feliz vivendo no meu.
  4. Aug 09,  · Lembro a minha Vaca Estrela e o meu lindo Boi Fubá Com saudade do Nordeste, dá vontade de aboiar Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela Ô ô ô ô Boi Fubá.
  5. Encontre análise do poema vaca estrela e boi fubá aqui. Administrador blog Vaca Importante compartilha informações e imagens relacionadas ao análise do poema vaca estrela e boi fubá que estamos procurando do compartilhamento de recursos.
  6. Êeeeiaaaa Êeee vaca Estrela Ôoooo boi Fubá. Hoje nas terra do Sul Longe do torrão natal Quando vejo em minha frente Uma boiada a passá As águas corre nos óio Começo logo a chorá Me lembro a vaca Estrela Me lembro meu boi Fubá Com sodade do Nordeste Dá vontade de aboiá. Êeeeiaaaa Êeee vaca Estrela Ôoooo boi Fubá.
  7. e gostava de campear Todo dia eu aboiava na porteira do curral Eeeeiaaaa, êeee Vaca Estrela, ôoooo Boi Fubá Eu sou filho do Nordeste, não nego meu naturá Mas uma seca medonha me tangeu de lá prá cá Lá eu tinha o meu gadinho, não é bom nem imaginar Minha linda Vaca Estrela e o meu belo Boi Fubá Aquela seca medonha fez tudo se atrapalhar.
  8. Nesse verso, há subjetividade do eu lírico ao caracterizar a Vaca Estrela e o Boi Fubá (bela / belo). c) “Aquela seca medonha fez tudo se atrapalhar”. Nesse verso, há subjetividade do eu lírico ao caracterizar a seca (medonha).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *